Pr. Carlos Alberto: O que não é discipulado
julho 25, 2017
Pr. Rico Assunção: A importância do discipulado
agosto 16, 2017

É interessante como Jesus enviou seus discípulos em duplas, para plantar igrejas nas casas que poderiam alcançar toda uma localidade (Lucas 9.1-6; 10.1-11). Falamos sobre ministério em equipes, mas ainda não o suficiente, em minha opinião.

A igreja primitiva seguiu o exemplo de Jesus quando começou a plantar igrejas nas casas. A igreja na casa plantada pelo casal Áquila e Priscila plantou igrejas nas casas em várias partes do Império Romano (Atos 18.26; Romanos 16.3; I Coríntios 16.19; II Timóteo 4.19). O Apóstolo Paulo também era parte de uma equipe nos seus esforços missionários (Atos 12.25; 13.1; 15.39). Aliás, a norma na igreja primitiva era ter uma equipe de líderes que supervisionava as igrejas nas casas. Paulo, por exemplo, disse aos líderes da igreja em Éfeso que o Espírito Santo os havia instituído “supervisores” (bispos) do rebanho (Atos 20.28)

Quando escreveu à igreja de Filipos, Paulo saudou a congregação, e, separadamente os bispos (Filipenses 1.1). Quando escreveu a Tito, Paulo lhe direcionou a levantar anciãos, a quem ele identificou com a função de “supervisores” (Tito 1.5-7). Michael Green, escrevendo sobre a liderança na igreja primitiva, diz:

“Liderança está sempre no plural: a palavra “presbítero”, derivada de “sacerdote”, é regularmente usada no plural quando descreve o ministério cristão no Novo Testamento. Eles eram uma equipe de liderança, apoiando e encorajando uns aos outros, e sem dúvida compensando as deficiências uns dos outros. Essa equipe de liderança é muito evidente nas jornadas missionárias do Novo Testamento e o texto de Atos 13.1 em diante é particularmente interessante. Indica não apenas uma liderança plural na Antioquia, composta por 5 membros, mas diversos tipos de liderança: alguns “profetas”, a quem eram confiados os dons carismáticos, enquanto aos “mestres”, o estudo das Escrituras (Evangelism in the Early Church,pag. 25, Ed. Kindle).

Considero muito mais libertador dizer aos lideres do futuro que eles não liderarão um grupo sozinhos, mas em equipe. Líderes em potencial sentem muito mais segurança ao saber que eles não terão que fazer tudo sozinhos! Novos grupos serão muito mais saudáveis se forem liderados em grupo.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *