Purê de Batatas e Fator Barnabé como estilo de vida
junho 20, 2017
Buscando a excelência no discipulado um a um
junho 27, 2017

Infelizmente na igreja de hoje, o pastor ou ministro oficial faz a maior parte do trabalho enquanto os leigos ficam sentados e escutam – e talvez se engajem em programas específicos. A situação se parece com uma torcida de futebol que está aplaudindo os jogadores suando em campo. Os jogadores fazem todo o trabalho, enquanto os torcedores apenas observam em aplaudem. Elton Trueblood disse certa vez: “Todos nós sofremos de uma terrível doença na igreja. Essa doença se chama espectadorismo. Falamos para a congregação como se ela fosse uma audiência. Nós não somos a audiência; somos os atores… Se cremos sinceramente no evangelho, precisamos crer que Deus tem uma vocação para cada um de nós. O segredo é participação, participação, participação.”

Muitas vezes falo aos que assistem a meus seminários que o segredo mais bem guardado no ministério é que o pastor cresce mais do que os membros da congregação. Por quê? Porque o pastor cresce por meio da dependência em Deus pela oração, aconselhamento, visita aos doentes etc. Alguma coisa acontece no processo do ministério que amadurece o pastor, e é esse mesmo envolvimento que a célula tenta recapturar.

Essa é uma das principais razões porque Jesus escolheu a atmosfera do grupo pequeno para impactar o conhecimento dos seus próprios discípulos. Em outras palavras, Cristo queria que a informação fosse disseminada na vida de seus discípulos. Então, quando Cristo conviveu como eles todos os dias por três anos, ele ensinava e depois pedia para porem em prática os seus ensinamentos. Jesus não praticou esse formato apenas com os seus discípulos, mas esses discípulos formaram igrejas nas casas que continuavam o processo de participação no grupo. Células e líderes de células eficazes fazem discípulos da mesma maneira que Jesus o fez. Eles esperam que todos se envolvam. A célula é pequena o bastante para mobilizar cada pessoa e permite o envolvimento um a um de cada pessoa.

As mesmas dinâmicas que amadurecem pastores deveriam estar presentes em cada célula. Isso requer o envolvimento de cada membro. O sacerdócio de todos os crentes requer que tiremos o ministério de alguns poucos e coloquemos diretamente nas mãos das pessoas leigas. E esse deveria ser o alvo de cada célula. Frequentemente digo que os melhores líderes de célula são facilitadores. Eles facilitam a participação de outros. Eles desvendam os dons e talentos dos membros do grupo. Facilitadores não falam o tempo todo ou fazem o ministério todo. Na verdade, os melhores facilitadores falam apenas 30% do tempo e encorajam o restante da célula a falar os 70% restantes.  Claro que falar é apenas um aspecto da vida da célula. Participação é muito mais amplo e envolve engajamento ativo de cada membro da célula.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *