As virtudes de um servo humilde – Marcos 1.1-8
abril 17, 2014
Os Efeitos da Pregação Profética – Isaias 6.8-13
abril 23, 2014

É tempo de exercitarmos a nossa coragem. Deus tem levantado muitos homens e mulheres valentes neste século. O Senhor tem falado deveras a uma geração. Ele está capacitando homens e mulheres para que possam conquistar a Terra.

Os valentes de Davi arriscaram suas vidas porque foram buscar água para o rei. Você já parou para pensar na atitude que esses valentes tiveram? Existe uma diferença entre o fazer e o servir.

Qual é a postura do valente que busca água para o rei?

A postura desse valente é vencer o medo e ver que os seus inimigos não são tão poderosos quanto ameaçam. Satanás é nada diante do poder de Deus. O inimigo gosta de ostentação, de amedrontar e de assustar. O cachorro quanto mais vira-lata é, mais late, pois quer se impor pelo grito. Assim é o inimigo: quer se impor utilizando o medo e as circunstâncias.

É de suma importância que estejamos definidos entre o fazer e o servir, e chegarmos às conclusões de como podemos fazer o melhor para Deus, não apenas fazendo coisas, cumprindo tarefas, mas servindo.

A palavra “servir”, no original, doulos, tem como base uma chamada aos interesses de Deus, com a intenção de fazer o melhor para o homem. Quando servimos a Deus, estamos desenvolvendo um ministério pelo qual devemos trabalhar com o nosso coração, em todo o tempo.

Lembramos que quando dizemos “sim” para Deus, falamos “não” para nós. O buscar a água para o rei implica uma decisão de risco, porém uma convicção de vitória. Quando resolvemos agradar o Rei, o que era risco torna-se prazer. Deus tem a capacidade de tornar o inimigo invisível diante dos nossos olhos.

Buscar a água da preferência do rei

Como buscar a água da preferência do rei? Lembre-se de que precisamos ser valentes de verdade, pois o inimigo está à espreita. Precisamos ter uma estratégia de manobra melhor que a da espera do inimigo.

Deus está chamando a Igreja e o Seu povo para um momento de desafio da alma, para vencer os seus limites. Deus não gosta que caminhemos apenas no possível; a nossa fé precisa ser treinada para desafios maiores. Só galgará algo grandioso quem lutar por isso, de forma honesta.

O teste sempre será grande para avaliar a nossa capacidade e a disposição de ousar a agradar o Rei. Não é fácil, pois enfrentaremos o inimigo. Mas Deus sempre nos dará uma estratégia para que o inimigo não nos apanhe de surpresa, tampouco para que não sejamos envergonhados por não cumprirmos o Seu propósito.

Tudo o que precisamos fazer é crer que Deus sempre lutará a nosso favor e nos dará as saídas que provêm do Seu coração, para que honremos a Sua vontade. Não podemos nos intimidar diante dos desafios.

Qual o valor do valente

Um valente não se mede pelas muitas guerras que já enfrentou, mas pelas muitas guerras que ganhou. A Palavra diz que “em Deus nós faremos proezas” (Sl 60:12). O Senhor tem prazer em nos ver caminhando em vitória. É por este motivo que, sempre que Israel andava retamente diante do Senhor, não perdia uma só guerra.

Lembre-se de que a água que os valentes de Davi foram buscar foi, na verdade, um teste de capacidade de guerra. O rei Davi conseguiu medir não só a coragem daquele povo, mas a fidelidade ao rei. Nem o próprio Davi creu na possibilidade de que aqueles homens levariam a sério o seu desejo.

É assim que devemos estar diante de Deus: quando Ele nos dá pistas da Sua vontade, devemos nos lançar no campo de guerra para cumprir o Seu desejo. Somos a herança de Deus e devemos oferecer a nossa melhor água para o Rei.

Recebendo a recompensa de Deus

É bom sabermos, também, que não somos apenas nós que cumprimos os desejos de Deus, Ele também cumpre o nosso desejo quando nos agradamos dEle. O Salmo 37:4 diz: “Agrada-te do Senhor e Ele satisfará o que deseja o teu coração.”

Buscar água para o rei fala da primícia do nosso esforço; é a abnegação da nossa própria vontade. “Vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação.” (Is 12:3). É também um ato profético, uma forma de entregar o nosso louvor em sacrifício a Deus.

Devolver a água como primícia fala de compreender princípios e priorizá-los. O Senhor nos guiará em todos os momentos e Ele mesmo nos dará a recompensa por nosso esforço. DEle é a promessa de que o nosso trabalho não é vão.

Jamais podemos nos esquecer de que a nossa água diária deve ser tirada das nossas fontes, que estão em Deus e jamais se acabarão. “Todas as minhas fontes estão em Ti” (Sl 87:7). “O Senhor te guiará continuamente e fartará a tua alma em lugares secos, e fortificará os teus ossos. Serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam.” (Is 8:11).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *