O líder perfeito não existe
setembro 1, 2017
Deus começa com os jovens
setembro 5, 2017

Sim, este é um tema polêmico e “quente”… Por isso, é preciso que se use a Palavra como parâmetro antes de qualquer comentário: Lucas 15:1-32.

O capítulo 15 do Livro de Lucas fala de coisas perdidas: a ovelha perdida, da dracma perdida e do filho perdido. Traçando um paralelo, este texto fala de três tipos de ovelhas perdidas, bem como, a maneira de lidar com cada uma delas, veja:

1º caso – A ovelha perdida

Quando a Bíblia fala da ovelha perdida, menciona que eram cem ovelhas e uma se perdeu. Esta uma que se perdeu, ela estava no meio do rebanho que, talvez, por falta de atenção ou de vigilância, ela se perdeu.

O que fazer quando a ovelha que estava no meio do rebanho se perde por falta de atenção ou vigilância?

A Palavra diz que o pastor das ovelhas deixou as noventa e nove guardadas e foi atrás desta “uma” que se perdeu.

Trazendo para a realidade dos dias de hoje, a ovelha que, por algum deslize, se misturou com pessoas erradas ou voltou para o mundo e está com vergonha, o Pastor precisa ir atrás. Ela está perdida e precisa de uma direção.

2º caso – A dracma perdida

O texto conta que a mulher perdeu a dracma em sua própria casa. Ao se dar conta que havia perdido, ela decide procurar, levando “luz” a sua casa.

Este exemplo pode ser comparado às pessoas que se perdem dentro da “própria casa”, ou seja, ovelhas que estão perdidos dentro da própria Igreja. Irmãos que estão desanimados, que se entristeceram com alguma coisa ou que tiveram problemas com outros irmãos e não saíram da Igreja, mas estão perdidos e nem sempre vêm aos Cultos ou vão às células.

E neste caso, o que se deve fazer?

A Palavra diz que a mulher, ao se dar conta, ela limpa a casa e leva “luz” para procurar. Por isso, quando este é o caso, é preciso trazer a ovelha para conversar, limpar o coração dele e levar a “luz” do entendimento ao assunto que ela não está entendendo e o estava deixando confuso. É uma pessoa que pode e deve ser recuperada.

3º caso – O filho pródigo

O que a passagem diz a respeito deste filho? O texto diz que ele mesmo decidiu ir embora de sua casa. Ele exigiu de seu pai os “seus direitos” e foi embora. E o que este pai fez? Este pai, simplesmente, o deixou ir. Perceba que este pai não foi atrás do filho e nem o impediu de ir. Antes, ficou dentro de casa com uma grande expectativa e fé de que o filho cairia em si e voltaria. Tanto é que, quando o filho decidiu, também por si só, voltar, este pai estava esperando de braços abertos para recebê-lo.

E qual o ensinamento que esta história traz?

Esta parábola nos faz entender que existem pessoas que sairão da Igreja com uma atitude como a do filho pródigo, uma atitude rebelde, de desonra, às vezes, até maligna e, a atitude que se aprende aqui é que se deve deixar este filho seguir a sua decisão de ir, ou seja, não se deve ir atrás. Deve-se, sim, ficar em casa em oração e sempre mantendo a expectativa e a fé de que este filho vai cair em si e voltar para casa.

Não esquecendo que, quando o filho volta, a atitude correta da Igreja é abraçar o filho, novamente.

Diante da Luz desta Palavra, resolver situações difíceis que envolvam ovelhas que se afastam ou desanimam, fica muito mais fácil. Basta que se identifique em qual situação a ovelha se encontra, seguir o que a Bíblia nos ensina e colher os frutos de se ter uma Igreja madura.

> Leia também:
+ Ovelhas desviadas e perdidas
+ Cuide bem das ovelhas fracas e doentes
+ Pagando um preço pela ovelha

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *