A importância do compromisso no discipulado
março 31, 2017
Construa pontes em vez de cavar abismos
abril 4, 2017

Instruir filhos espirituais a andar no caminho correto é um grande desafio, mas não é uma tarefa impossível. Os filhos são uma bênção do Senhor e quando ensinados, tornam-se referenciais para outras gerações.

Mas quando o filho não quer receber a instrução, adianta o pai sonhar com o futuro do filho? Provavelmente não, contudo o pai não deve desistir da missão de ensiná-lo a chegar à estatura de Deus.

O sucesso está condicionado a uma unidade. Para o crescimento espiritual, o discipulador e o discípulo devem caminhar juntos.

Devemos ensinar os filhos a não ter medo das dificuldades (Provérbios 22.6). Se um pai nunca soltar a bicicleta do filho, ele não vai saber como pedalar sozinho. Há momentos que os filhos espirituais devem perder o medo, e isso só acontece quando o próprio discipulador deixar de segurá-los. Isso fala de gerar no discípulo uma segurança em Deus.

Jesus desafiou o discípulo Pedro a andar nas águas. Os pais espirituais devem desafiar seus filhos a entrar na história, assim como Pedro, que mesmo temendo as águas, mais tarde recebeu a revelação de que Jesus é o filho de Deus.

Tentar trabalhar com a vontade dos filhos espirituais para o que é bom e agradável. Às vezes os filhos não querem ouvir. A visão do MDA fala de amor, mas se o discipulador só amar e não corrigir o discípulo, de nada vai adiantar. Outro extremo é corrigir muito e não amar. Precisamos fugir desses extremos e atingir o equilíbrio.

Quando uma pessoa se converte torna-se um bebê espiritual, então precisa ser ensinada e corrigida. Você deve estar pensando que é um absurdo repreender um discípulo no início da sua caminhada com Cristo. Só que não atentamos de que todo recém-nascido precisa de instrução. Eles precisam que os pais digam o que é certo e errado. O problema é que não levamos esse exemplo para a realidade espiritual, pois quando deixamos de instruí-los, mais tarde eles crescem e tornam-se adolescentes ou adultos espirituais rebeldes que não obedecem a instrução dos pais na fé.

O discipulado não foi feito para “bater”, mas foi criado para ensinar. Já pensou se um discípulo tiver um vício e o discipulador dizer a ele que pode continuar praticando, porque no fundo aquele mentor tem medo perder o discípulo.  O maior erro de um líder é não corrigir pensando que seu liderado vai sair da igreja.

Ensinar os filhos espirituais a comer do alimento certo, que é a Palavra de Deus. No início todo bebê tem o costume de catar tudo o que vê no chão e levar à boca. Há momentos que devemos ensinar os nossos discípulos a comer o verdadeiro alimento, aquele que vai nutrir e dar as vitaminas essenciais para o crescimento saudável.

Reserve o momento do discipulado para ensinar seu discípulo a “comer a Palavra”. Um discipulado sem a presença da Palavra de Deus, não é discipulado. O segredo está em aplicar os versículos da Bíblia a cada situação que é exposta ao discipulador.

Natasha Carvalho – com ideias do pastor Clayton Costa

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *